Gostou? Compartilhe !!!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Deixando algo que não se para para apreciar todos os dias...

É muito simples, mais tem emoção...

Por mais um dia ...

As vezes o ser humano se esquece de que a igualdade ainda assim é prevalecente entre um e o outro. Isso o torna tão besta quanto ele acha que é o seu próximo.
Eu como um triste homem de mente aberta, nunca confundi educação com ingenuidade.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Pensamentos de um outro homem expressados em minha revolta.

Quando me entrego aos momentos que para mim chegam a ser fúnebre, vejo que o universo nunca conspirou quando eu quis algo. Passei a entender que os contos são e serão sempre contos.
Nada de alquimia, nada de beijos dourados ou abraços divinos! O desejo de realidade hoje pulsa como meus dedos se mechem para digitar aquilo que treme em minha ejaculação cerebral. Que assim mesmo de forma explicita desejo que me ouçam ou que almenos leiam minha dor como se eu fosse o mais puro e amargo vinho que desliza na inflamada garganta alheia.
Não sou uma mitológica fênix, nem tão pouco um miserável no paraíso celeste.
Sou um homem desde criança e o que sinto é a mas pura e doce revolta.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

pensando hoje ...

Todo Ser humano de mente livre, é triste por natureza. Natureza da dor que a liberdade traz ao ficarmos desprotegidos.
Quando estamos presos, de uma certa forma estamos seguros.
O que você prefere?

Formas de ser um Deus ou um Nada.

Ao entrar no prazer e sentir o frio das neves, é precioso olhar cada simples pedaço de cristal a voar no ar.
Não existe mais neblina. Não existe mais nada a não ser aquilo que mesmo no vazio de um canto, proporsiona amor inevitável.
Talvez uma forma de ser um deus. Formas e perdas são relevantes.
Momentos deste prazeroso frio tão doce de se aproveitar, pois quando ele passa a única verdade que fica é a de se matar.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

No front

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Um pobre animal indefeso prestes a cair no mais profundo abismo

Sinto as feridas da vida em um ardente sentimento a queimar meus olhos, sinto-me um pobre animal indefeso prestes a cair no mais profundo abismo celeste.


Sobrevoei seu mundo sem perceber as lagrimas que caíam dos meus olhos, caí em teu jardim de gelo e senti meu coração parar e congelar enquanto seu suspiro quente arrepiava minha alma. Penso em ti.
As vezes penso que estou sozinho neste horizonte frio onde vejo tudo congelar, onde apenas o tempo passa ileso, onde apenas meu sentimento de querer abraçar-te cobrem todas as minhas expectativas de inexistência carnal. Jamais pensei estar preso em tua gaiola de puro cristal. Mas fui eu quem sobrevoou seu mundo. Mais uma vez estou a cair neste negro e profundo abismo sentimental.

sábado, 10 de dezembro de 2011

Influencia sonora contínua


sempre que escuto esta música é inevitável não escrever algo...

Um passeio ao teu encontro


Sufocado em uma noite de pensamentos pesados, é inevitável fechar os olhos que já queimam por estarem sempre atentos ao que não é visível pela vontade.
Tristonho é o clima frio que abraço todas as noites.
Amargo é o sentimento que sinto por mim mesmo.
Doce é o orgasmo da mas bela rosa em contato com o sangue de um sacrifício contínuo.
Prevejo o que jamais senti em nenhuma outra existência, Vejo um fim mas não sinto um começo. Apenas escuto teus gritos e chamados para banhar-me nos puros rios de teus olhos ofuscados cristais de um novo tempo.

sábado, 3 de dezembro de 2011

tempo em planos atmosféricos


Com o passado sinto-me ser arrastado para um novo tempo, o tempo das bestas inquietas e dos deuses em sono profundo.

A melodia da existência apodrece em minha alma por cada fio de energia insólita. É inevitável não ver esta lúgubre e densa neblina de egos e castigos cativantes, é como se tudo o que queimasse, por algum instante virasse lindos cristais de gelo a pairar no horizonte. Nada de desespero neste plano moribundo... Apenas solidão e pensamentos inertes abraçados em um canto lírico, penso logo não existo mais em ambientes humanos. Apenas minha podre matéria rasteja em busca de um simples desejo de virar a mais linda rosa vermelho sangue.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Ao olhar os outros

Cada sorriso visto no rosto dos outros me traz a sensação de que não sou tão real quanto pareço.

Dor

  Apenas neste clima frio, esta manhã cinza está em todos os cantos, por mais que eu tente não abrir mais os olhos. Enquanto a dor na porta bate, sinto que ainda existe algo a se fazer neste ambiente atmosférico, neste ritual de desespero fúnebre onde as almas se isolam.
O caminho para aquele jardim de rosas preto e branco eu ainda não consegui encontrar... Apenas olhos de choro é o que encontro em cada ponto de lágrima escorrida em meu rosto. Onde eu poderia estar neste momento ? Oque eu poderia estar fazendo neste momento? Será que este vazio imenso existiria depois desta densa neblina de pensamentos confusos?
O sono chega mas a dor não dorme. Apenas cochila nas profundezas de um doce pesadelo, um doce desejo puro de poder sonhar.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Músicas que passam por minha cabeça...


Difícil mesmo é não ter inspiração para escrever ...

Despedida de um Vencido


Não sei o que sentir, não sei porque senti sua dor, as distorções deste mundo já não tem forças sobre mim. Sinto-me como se tivesse pulado de cima da lua sem ter asas, sua dor me deixou cego e sem sentidos, seus remorsos já foram menos sombrios em outrora.

É minha Sina seguir os passos de teus sonhos ? Ou serei apenas mais um suicida de braços abertos para teu ventre cristalino? Deixe-me afogar minhas mágoas em teu oceano de dor! É um preço justo para um homem menos nocivo que os vermes que habitam os palacetes de tua magia!

Olhando para teus olhos de prata, me lanço em comunicação energética com sua alma, sinto-me como se já não amasse mais … Talvez eu precisa-se não amar mais. Neste mundo de incertezas sinto um ultimo suspiro, um suspiro que vai além das existências carnais. Descobri que rosas não possuem mais o teu cheiro.

Lembranças Humanas


Levantando das cinzas, hoje visto minha fantasia de ouro...

Olho tranquilamente para tudo que me acalenta, nunca pensei que os dias por onde observei a ventania passar fossem tão vazios.

Como sempre as lembranças me degradam. Mas estou cansado... Apenas isso... Os meus olhos já não enxergam mais as vida como uma doce criança, Percebi que tudo é podre até que se desfaça da matéria. Descobri a dor no olhar de meus animais, no olhar de minhas crianças. E hoje sou a fera de meu próprio abismo ao som de violinos desafinados, esta torpe imagem doentia...

Espero o tempo passar...Vejo o tempo passar...Vejo que ainda existo.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...